Cosme e Damião
Cantinho de

Cosme e Damião

Click here to edit subtitle

E UMBANDISTA COMEMORA O NATAL?!

...

E pelo sincretismo, Cristo chegou aos terreiros de Candomblé e de lá para os da Umbanda, onde sua imagem também representa as forças de Oxalá. Ou seja, como para um católico uma pomba branca representa o Espirito Santo, para nós Umbandistas, a figura do Cristo representa Oxalá.

Na nossa Umbanda, assim como no Espiritismo de Kardec, entendemos Jesus, o homem que encarnou nesse mundo, como um irmão mais velho que nos serve de referência. Para nós, ele é um espírito muito elevado que aceitou a missão de vir a Terra para nos dar o exemplo do amor divino; nos mostrar que, apesar das limitações da carne, é possível sim vivermos de forma a nos elevarmos espiritualmente; e nos apoiar nessa caminhada de volta a Zâmbi. É ainda, para nós, o “Médium Supremo”, aquele que foi capaz de, usando sua mediunidade, servir de canal direto entre as esferas mais elevadas do mundo espiritual e o nosso mundo.

...


Clique aqui para ler o texto completo >>>


Negro foi arrancado de sua terra; arrastado pelas águas de Iemanjá até chegar à Terra de Santa Cruz, onde conheceu o purgatório.


Aparentemente, perdeu sua identidade, sua língua, sua crença. Foi misturado com outros negros no afã de fazer com que perdesse também sua força. Mas não perdeu; ganhou!...

...

Mas ao passo que as forças físicas lhe deixavam os braços, suas forças mental e espiritual cresciam e, vendo o tempo passar, aprenderam a ter paciência e resignação; a tirar das matas verdes de Oxoce o alento das dores, a cura das doenças do corpo e da alma.


Aprenderam a rezar e rezavam para curar. Curavam os bichos e o bicho homem de pele preta – que era talvez, até um antigo desafeto. E na hora do desespero, quando o bicho homem, o de pele branca – talvez (!) um novo desafeto –, lembrava que também era bicho e que o velho, que nada valia, podia curar, o velho o curava.

...




OBALUAÊ


A única certeza que temos ao nascer é que um dia, mais cedo ou mais tarde, desencarnaremos, que morreremos. Na Umbanda entendemos esse momento como aquele que – mais uma vez – deixaremos para trás nosso corpo carnal e voltaremos ao plano espiritual. E como sabemos que a vida continua mesmo quando o corpo físico sucumbe, para nós, a “morte” não tem o caráter aterrador da aniquilação do ser, do seu “fim”.


É sim, evidentemente, a transformação mais extrema pela qual passamos nesse mundo. Pois deixamos de estar encarnados – condição na qual, até então, “sempre” estivemos – e passamos a uma “nova” condição: a de desencarnado. E, talvez por isso, por ser essa experiência a mais radical das transformações pela qual passamos, seja também a que mais amedronte as pessoas. Especialmente os menos ligados às coisas do espírito e/ou as que não creem na reencarnação da forma como cremos.

Porém, amparados pela nossa fé, baseada nos testemunhos que nos dão nossas entidades em cada contato, entendemos a “morte” como sendo apenas mais uma das transformações pelas quais temos de passar para seguirmos evoluindo.


Na nossa Umbanda, Obaluaê, a representação jovem de Omolu, exprime a força de transformação – de toda transformação, inclusive da “morte”. É ele que rege os ciclos de fim e recomeço das coisas nesse mundo; que coloca o ponto final, mas que também apresenta uma nova página em branco para recomeçarmos.


A pipoca é um dos símbolos de Obaluaê. O milho duro, pouco apetitoso, só depois de levado ao fogo, arrebenta a casca e se transforma em algo palatável, útil, bom. Assim como o milho, em nossa existência, também passamos por calores que servem para nos transformar e nos fazer evoluir. Eis a revelação de Obaluaê.


Saravá Obaluaê!


Ó, Senhor das Doenças, Rei do Mundo, limpa nossas feridas com tuas mãos curadoras e sara nossa alma aflita;

Dá-nos a paciência de quem conhece o futuro; faz-nos aceitar as leis da evolução.

Seja nossa muleta nos momentos de dor; 

Faz-nos ver a oportunidade de um novo começo como um presente de Zâmbi;

E nos ajude em nossas transformações até nosso restabelecimento total.


Atotô, Senhor da Terra! Saravá, Obaluaê!


Em setembro temos o dia de Cosme e Damião; em outubro, dia das crianças e também de Crispim e Crispiniano – santos irmãos que, assim como Cosme e Damião, também foram sincretizados em alguns Candomblés do passado com os Orixás Ibejis e, por extensão, passaram a representar os Erês e todas as Crianças Espirituais. Que, na Umbanda, representam a pureza, a inocência, a humildade do início, do aprendiz que dá os primeiros passos.


São Espíritos elevados que optaram pela roupagem infantil, cujos trejeitos, candura e simplicidade ajudam a derrubam barreiras, lhes dando a chave para chegar mesmo a corações mais fechados e destrancar os grilhões do rancor, para que suas mensagens possam ser recebidas e assimiladas.

 
 
 

LEGBARA - O mesmo que Exu. Provavelmente oriundo do termo iorubá "elégbára", usado como um dos títulos de Exu e que significa "aquele que é possuidor do poder".

 

Nossos próximos encontros:

12/jan    sábado      16h       Gira mensal - Caboclos e Ibejada

15/jan    terça          20h       Sessão com os Pretos Velhos

26/jan    sábado      16h       Gira de Guardiões (Exus) 

27/jan    domingo      8h       Ação Social AFI - Apoio Fraterno ao Idoso

                                10h      Reunião geral para Médiuns e Colaboradores - Alinhamentos litúrgicos em                                                                    geral (Encontro RESTRITO ao Corpo Mediúnico)

Veja o calendário completo aqui.

 

Nossos encontros começam pontualmente na hora indicada. Chegue com a antecedência necessária para poder se preparar para melhor aproveitar os encontros.

 

Projeto de Apoio Fraterno ao Idoso (AFI)

O projeto AFI tem por objetivo prestar atendimento fraterno e apoio alimentício a idosos (com 55 anos ou mais) carentes. Mensalmente, no 4° domingo de cada mês (confira as datas no nosso calendário), a partir das 9h, oferecemos aos assistidos pelo projeto, lá no nosso Cantinho, um café da manhã muito animado, farto de sorrisos e de coisas gostosas.  Além dessa confraternização, neste dia, entregamos aos assistidos as cestas básicas, que são montadas a partir de doações. 


Mais do que alimentar o corpo, nosso objetivo nesses encontros é nutrir a alma e o coração de todos os envolvidos, prestando a caridade, aprendendo com as experiências uns dos outros, resgatando a autoestima e vivendo momentos de paz e alegria genuínas.


Atualmente, o projeto atende a 13 famílias. Esse número é definido pela quantidade de alimentos que temos certeza que conseguimos recolher através das doações para a montagem das cestas básicas.


Para que possamos manter essa atividade e ampliar o número de assistidos, novos colaboradores são sempre bem-vindos, seja para ajudar a servir o café ou para doar os itens que compõem as cestas!


Caso queira ajudar, entre em contato conosco!

Fale conosco


Quer falar conosco?! Então, por favor, preencha o formulário ao lado e clique em "Send Message".

 
Sua mensagem foi enviada. Em breve entraremos em contato. Obrigado!

Cantinho de Cosme e Damião
Oops. An error occurred.
Click here to try again.
 

Rua Almirante Oliveira Pinto, 385 - Colégio - Rio de Janeiro - RJ.


Próximo à estação de metrô de Colégio - saída B - Estrada do Barro Vermelho

Para quem vem de carro: há cancelas nos acessos às ruas Sodré da Gama, Alm. Oliveira Pinto e Comandante Lahmeyer. Caso a cancela de acesso esteja fechada, dirija-se à rua ao lado. Sempre há uma cancela aberta para quem vem pela Automóvel Club qto para quem vem da rua Guirareia.